domingo, 9 de agosto de 2009

Futebol de luto: aos 26 anos, capitão do Espanyol morre de ataque cardíaco

Madri, 8 ago (EFE).- O futebol da Espanha voltou a ficar de luto neste sábado pela morte do zagueiro Dani Jarque, capitão do Espanyol, que perdeu a vida vítima de um ataque cardíaco durante a pré-temporada da equipe na Itália.

O jogador se encontrava no hotel da concentração com sua equipe, na cidade italiana de Coverciano. O fato ocorreu às 19h locais, enquanto Jarque conversava no telefone com sua esposa - que espera um filho dele para setembro.

Ao perceber o silêncio súbito do outro lado da linha, ela telefonou para o companheiro de quarto do zagueiro, que foi checar o que estava acontecendo.

Jarque foi encontrado inconsciente no quarto. Apesar de ter sido levado rapidamente a um hospital, os médicos não conseguiram reanimá-lo, mesmo usando um desfibrilador.

O fato foi lembrado com um minuto de silêncio em partidas como o amistoso entre Valencia e Arsenal, no Estádio Mestalla. Clubes como Barcelona - rival local do Espanyol -, Real Madrid e Atlético de Madri também manifestaram pesar.

Jarque estreou na primeira divisão em 20 de outubro de 2002, mas só ganhou espaço a partir da temporada 2004-05, quando jogou 21 partidas do Espanhol.

Ele foi campeão da Copa do Rei (2006) e vice da Copa da Uefa (2007), além de ter faturado o Europeu sub-19 em 2005 pela Espanha.

Com 148 jogos e sete gols marcados, ele foi eleito capitão nesta pré-temporada, no lugar de Tamudo.

Jarque é mais um jogador de futebol que perdeu a vida durante a carreira. No Brasil, o caso mais conhecido é o do zagueiro Serginho, que teve uma parada cardiorrespiratória durante um jogo entre São Caetano e São Paulo no Morumbi, pelo Brasileiro de 2004.

Outras vítimas foram o camaronês Marc-Vivien Foe, que sofreu uma parada cardíaca enquanto atuava por sua seleção na Copa das Confederações de 2003, e o húngaro Miklos Feher, vítima de uma tromboembolia pulmonar durante uma partida entre o Benfica e o Vitória de Guimarães, no estádio D. Afonso Henriques, em 2004.

Esta é a relação dos principais casos de jogadores mortos durante um partido, treino, ou em consequência de alguma doença:.

28 de setembro de 1972.- O jogador Miguel Martínez, do Atlético de Madri, morre oito anos após sofrer problemas cerebrais durante uma excursão da equipe a Montevidéu.

5 de abril de 1990.- O lateral-esquerdo João Pedro, do Sport Recife, morreu horas depois de sofrer um infarto durante uma partida com o Estudantes, pelo Campeonato Pernambucano. Ele tinha 23 anos.

10 de setembro de 1990. - David Longhurst, jogador do York City é vítima de um ataque cardíaco durante um jogo do Campeonato Inglês.

24 de novembro de 1992.- O goleiro Vicente Vásquez, de 23 anos, do time local da cidade argentina de Garuhapé, morre de um ataque do coração ao defender um pênalti com o peito.

7 de setembro de 1993.- Gabor Zsiborazs, goleiro da seleção húngara de futebol, morre em Budapeste após permanecer uma semana em coma ao sofrer um derrame durante um jogo-treino.

13 de setembro de 1993.- O jogador Ricardo Ferreiro, de 24 anos, sofre um enfarto no vestiário após sua equipe disputar um jogo importante pela terceira divisão espanhola.

19 de novembro de 1993.- O jogador Stefano Gessa, de 19 anos, é vítima de um enfarto durante um treino do Carbonia Mineraria, sua equipe, na cidade italiana de Cagliari.

2 de fevereiro de 1993.- O meio-campo romeno Michael Klein, da equipe alemã do Bayer Uerdingen, morre em Krefeld após sofrer um desmaio durante um treino.

30 de novembro de 1997.- Shamo Quaye, que fez parte da seleção de Gana que foi medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Barcelona, morre na cidade de Acra, em seu país, dois dias depois de levar uma bolada no rosto, por uma inflamação no nariz e problemas no pescoço.

5 de outubro de 2000.- O romeno Catalin Hildan, jogador do Dínamo Bucareste, perde a vida vítima de um ataque cardíaco durante um amistoso na capital romeno.

1º de outubro de 2001.- Morre o jogador do Estrela Vermelha de Belgrado iugoslavo Vladimir Dimitrijevic, de 20 anos, minutos após desmaiar durante um treino.

16 de julho de 2001.- O nigeriano Charles Ocheaga Esheku, jogador da equipe indiana Bengal Mumbai, não resiste a um colapso em uma partida do campeonato local.

30 de setembro de 2002.- O jogador cipriota Michalis Michael, do Onisilos Sotiras, morre durante um partido em Nicósia quando corria para atender o goleiro de sua equipe, lesionado.

28 de outubro de 2002.- O atacante brasileiro Marcio dos Santos morre horas depois da vitória de sua equipe, o Deportivo Wanka, sobre o Alianza Lima, na qual chegou a marcar um gol.

4 de fevereiro de 2003.- O árbitro paraguaio José Roberto Rodas perde a vida em consequência de um ataque ao coração sofrido durante um amistoso entre Guaraní e Olímpia, em Assunção.

26 de junho de 2003.- O meio-campo Marc-Vivien Foe, do Manchester City, sofre uma parada cardíaca em ação pela seleção de Camarões em partida contra a Colômbia, pela semifinal da Copa das Confederações, na cidade francesa de Lyon.

21 de outubro de 2003.- Manuel Mondaca Silva, goleiro da seleção chilena sub-17, morre enquanto treinava no estádio do Unión Española.

3 de julho de 2003.- O zagueiro Max, de 21 anos e que defendia o Botafogo de Ribeirão Preto, sofre uma convulsão durante um treino e morre por conta de uma parada cardiorrespitarória pouco depois, no hospital.

1 de março de 2004.- O jogador Andrei Pavistski, de 17 anos, perde a vida durante um treino de sua equipe, o Arsenal Kiev, da Primeira Divisão ucraniana.

27 de outubro de 2004.- O zagueiro Serginho, do São Caetano, falece de uma parada cardiorrespiratória durante um jogo contra o São Paulo no Morumbi, pelo Brasileiro de 2004.

25 de janeiro 2004.- O jogador húngaro Miklos Feher, vítima de uma tromboembolia pulmonar durante uma partida entre o Benfica e o Vitória de Guimarães, morre no hospital.

31 de agosto de 2006.- O zagueiro da seleção egípcia Mohammed Abdelwahab morre após desmaiar em um treino do Al Ahly, sua equipe.

10 de janeiro de 2007.- O jogador Sixto Rojas, de 26 anos, falece num hospital de Assunção, após sofrer uma parada cardíaca durante um treino do clube Atlético Trinidense, à época na primeira divisão.

28 de agosto de 2007.- O lateral-esquerdo Antonio Puerta, jogador do Sevilla, perde a vida em um hospital de Sevilha três dias após sofrer uma série de desmaios e paradas cardíacas durante um jogo com o Getafe.

6858km de futebol
http://6858kmdefutebol.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget