sábado, 29 de agosto de 2009

Barcelona super-campeão da Europa

Daniel Alves é bi-campeão da Super-Copa dos Campeões da Europa. Ibrahimovic foi a maior contratação do Barcelona para a temporada 2009/2010. Nesta sexta-feira, entretanto, coube a Pedro Rodríguez, cria do Barcelona de 22 anos, entrar na vaga do sueco e garantir o título da Supercopa da Europa ao time catalão. Pedrito, como é chamado pela torcida, fez na prorrogação o gol da vitória por 1 a 0 sobre o Shakhtar Donetsk.

Foi o terceiro título de Supercopa da Europa conquistado pelo Barcelona, que jogou a decisão no estádio Louis II, em Mônaco, por ter sido o último campeão da Liga dos Campeões. O Shakhtar, que teve cinco brasileiros em campo (Ilsinho, Willian, Fernandinho, Luiz Adriano e Jadson), esteve na decisão por ter vencido a Copa da Uefa.

Pedro, herói do Barça nesta sexta, foi revelado pelas categorias de base do clube, que já reconheceu o talento do atacante. Recentemente, ele teve seu contrato renovado até 2014 e a multa rescisória foi estipulada em € 75 milhões (R$ 196 milhões).

A partida desta sexta-feira marcou a despedida do zagueiro Chygrynskiy do Shakhtar. Ele acertou sua transferência para o próprio Barcelona e teve uma atuação discreta na partida.

A conquista da Supercopa da Europa foi a quinta do Barcelona no ano de 2009 (já havia ganho o Espanhol, a Liga dos Campeões, a Copa do Rei e no último fim de semana a Supercopa da Espanha). O clube pode fechar o ano perfeito em dezembro, quando vai disputar o Mundial de Clubes da Fifa.

Barça tem domínio territorial, mas pouco leva perigo

O primeiro tempo do jogo foi morno em sua maior parte. Com o Shakhtar muito recuado, coube ao Barcelona tomar mais a iniciativa do jogo. Mas com Ibrahimovic e Messi pouco inspirados, coube a Henry ser o mais lúcido no ataque. Ainda assim, o goleiro Pyatov foi pouco incomodado.

A melhor chance do Barça na etapa inicial surgiu aos 28, quando Ibrahimovic foi lançado no lado esquerdo da área e cruzou rasteiro para o meio, procurando Messi na área. A bola, entretanto, não chegou até o argentino.

No lado do Shakhtar, o quarteto ofensivo foi formado pelos brasileiros Ilsinho, aberto pela direita e Willian, pela esquerda. No ataque, Fernandinho procurou municiar Luiz Adriano, o atacante de referência. Os brasucas não conseguiram grandes jogadas no primeiro tempo.

Alterações fazem nível do jogo melhorar

O panorama na segunda etapa seguiu parecido com o do primeiro. O Barcelona seguiu com o domínio territorial, porém sem conseguir criar grandes chances de gol. Messi, aos 15 minutos, fez grande jogada individual, mas foi travado na hora da conclusão.
O Barça seguiu apertando o cerco contra a defesa do Shakhtar e esteve muito perto de abrir o placar aos 28 minutos. Messi recebeu a bola na entrada da área e soltou a bomba. O goleiro Pyatov fez grande defesa e, na sobra, o arqueiro precisou afastar o perigo por mais duas vezes.

Os dois treinadores promoveram mudanças em seus times a partir dos 30 minutos. Mircea Lucescu lançou Jadson na vaga de Fernandinho e Kobin no lugar do volante Gai. No Barça, o jovem Pedro Rodríguez, 21 anos, substitiuiu Ibrahimovic, que estava nitidamente cansado.

As mexidas alteraram levemente o andar da partida, com os ucranianos um pouco mais ousados. Messi teve aos 36 mais uma chance de gol, mas chutou nas mãos de Pyatov. No Shakhtar, Willian passou por Daniel Alves com uma pedalada, foi ao fundo e cruzou para o meio, buscando Luiz Adriano, mas a zaga fez o corte.
O restante do tempo normal seguiu disputado, com alguns ataques de pouco perigo por parte dos dois times. No fim das contas, o jogo acabou indo para a prorrogação. Ao fim dos 90 minutos, o Barça teve 65% de posse de bola, contra 35% do Shakhtar.

No intervalo para o tempo extra, o técnico Mircea Lucescu sacou o meia Willian e lançou o atacante Aghahowa. Em poucos minutos, o nigeriano recebeu dois passes em profundidade e entrou com perigo na área do Barça. Na primeira vez, Aghahowa foi travado por Puyol. Depois, o nigeriano bateu para defesa de Valdés.

O técnico Guardiola respondeu colocando Bojan na vaga de Henry e Busquets no lugar de Touré. O time catalão conseguiu recompor as ações e o jogo ficou igual.
No segundo tempo da prorrogação, poucas chances de parte a parte. O Shakhtar reclamou de um pênalti quando Luiz Adriano foi empurrado por Busquets na entrada da área. No Barça, Bojan fez boa jogada pela direita e bateu para o gol, mas a zaga salvou.

Quando tudo levava a crer que o jogo ia para os pênaltis, o Barça chegou ao gol do título. Messi deu passe com açúcar para Pedro, que tocou rasteiro na saída de Pyatov e garantiu o título ao Barcelona.

Lunático
6858km de futebol
http://6858kmdefutebol.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget