sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Pelé: parem de transformar jovens em gênios antes da hora

Voltei...depois de muito tempo sem blogar voltei.....nesse tempo tive a honra de saber que vou ser pai...pois e, mais um blogleiro /blogeira a caminho....

Tava sem tempo e entusiasmos para blogar, na verdade...porem, depois da nossa participacao olimpica no futebol, nao ha como nao blogar...e hoje, depois de ver o depoimento do pelé tive um overdose de entusiasmo.

O rei pode ate falar besteira, porem palavra de rei é sempre palavra de rei.
Pelé disse "é um alerta". Durante a visita que fez na tarde desta sexta-feira à Vila Olímpica, o Rei do Futebol resolveu dar uma opinião que ele mesmo definiu como "pessoal": "nós temos dois anos até a Copa do Mundo da África do Sul (2010) e seis anos para o Mundial no Brasil (2014). É preciso que se pare de transformar todo novo talento que aparece no Brasil em um grande craque. O que acontece é que os meninos são tratados como gênios e ainda nem têm experiência para carregar esse peso".

Perguntado pelo Blog do Boleiro (clique aqui e entre) se ele estaria se referindo a algum jogador em particular, Pelé citou Alexandre Pato, Robinho e Diego como exemplos. "Mas isso não é uma crítica a eles. O que está acontecendo no Brasil hoje é que um atleta ainda menino, se faz alguns jogos bons, já é tratado como gênio e já é negociado para fora. No meu tempo, havia a categoria de aspirantes. Um jogador para chegar ao time principal já tinha 23 ou 24 anos e já era experiente".

Para provar que não está criticando a Seleção Olímpica masculina - que disputa a medalha de bronze nesta sexta-feira, em Xangai, contra a Bélgica -, Pelé deu mais uma vez um desconto. "Temos que lembrar o pouco tempo de treinamento que esta equipe teve. A Argentina veio muito mais entrosada para a Olimpíada".

Durante a visita, antes de almoçar com os atletas brasileiros no restaurante da Vila, Pelé conheceu a prefeita do local, a chinesa Deng Yaping. Ao saber que se tratava da maior ex-jogadora de todos os tempos de tênis de mesa - dona de quatro medalhas olímpicas -, o brasileiro fez elogios. Recebeu ainda um buquê de flores e deu em troca uma bola de futebol autografada. Por ele.

Neste clima, ele só errou quando resolveu também dar bola para um repórter argentino que o acompanhou desde a entrada fazendo gozação e perguntando como ele viu a derrota para os argentinos na semifinal do torneio masculino.

Pelé manteve a classe, defendeu o orgulho de se receber medalha de prata ou de bronze e se viu livre do piadista graças à intervenção de alguns repórteres brasileiros, que retiraram a equipe argentina de perto do ex-craque.
6858km de futebol
http://6858kmdefutebol.blogspot.com/
Ocorreu um erro neste gadget