domingo, 6 de junho de 2010

Coluna do Tostão


Tudo certo e incerto

Em meu inconsciente, em meus sonhos infantis, a África é um continente miserável, com uma multidão de pessoas e animais andando nas ruas, e o calor é insuportável durante todo o ano.

Não é bem assim. Está frio em Johanesburgo, quase não se vê pessoas nas ruas das áreas nobres e parece que estou em uma rica cidade americana. Em volta, há muita miséria. No ranking mundial, o IDH (índice de desenvolvimento humano) da África do Sul está em 129º lugar, e o do Brasil, em 75º - relatório da ONU de outubro de 2009.

Em Harare, capital do Zimbábue, imaginei um aeroporto parecido com a rodoviária de uma cidade do interior do Brasil. O aeroporto é enorme e moderno. Ditadores adoram coisas grandiosas. A cidade é melhor que esperava, mas os índices sociais do país são ainda muito piores que os da África do Sul. Parafraseando Woody Allen, quando acontecerem os jogos equilibrados das fases mata-mata, tudo pode dar certo ou errado. Algumas coisas têm mais chances de darem certo, e outras de darem errado.

Tenho algumas preocupações. Kaká continua fora de forma técnica e física. Mais técnica que física. Independentemente de ele jogar bem ou não na Copa, Kaká tem grandes chances de, nos próximos anos, continuar atuando em altíssimo nível. Mas não há certeza disso. Os grandes craques, por serem muito exigidos na parte física, técnica e emocional, costumam ter um esplendor técnico de mais ou menos oito a dez anos. Depois disso, o brilho, progressivamente, se apaga.

Kaká brilhou muito durante oito anos. Suas contusões e más atuações na última temporada já não seriam consequência de uma inevitável queda? Parece que não, mas só o tempo vai dizer. De qualquer forma, isso não impede que ele e outros craques, depois de uma fase esplendorosa, tenham curtos e esporádicos momentos espetaculares.

Outra preocupação que tenho é com Felipe Melo ser expulso durante a Copa. Segundo reportagem feita pela TV Globo, Felipe Melo foi um menino irriquieto. Continua até hoje. Antes de pensar, já cometeu uma falta violenta. O impulso está muito à frente daconsciência.

Muitas outras coisas podem surpreender na Copa, boas ou ruins, que vão além de nossa imaginação e de nossos pretensos conhecimentos. Craques podem fracassar, e jogadores medianos, brilhar. O futebol é muito complexo. Nós é que tentamos simplificá-lo. 



6858km de futebol http://twitter.com/6858kmdefutebol http://6858kmdefutebol.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget