terça-feira, 9 de março de 2010

Coluna do tostao:A incoerência de Dunga

http://opovo.uol.com.br/opovo/colunas/tostao/957858.html


A incoerência de Dunga

Ronaldinho atuou mal, sob o comando de Dunga, porque estava mal nos clubes. Agora, é diferente

27 Fev 2010 

Nesta semana, assisti, no programa Bola da Vez, da ESPN Brasil, a uma ótima e bem humorada entrevista com o ex-craque Mazzola. Ele jogou a Copa de 58, pelo Brasil, e, a de 62, pela Itália. Na época, era permitido. Mazzola é comentarista da TV italiana. 

Dizem que Mazzola, antes da Copa de 58, já teria contrato com o Milan. Por isso, não teria se concentrado e perdido a vaga de titular para Vavá. Mazzola nega. Essa é uma das milhares histórias do futebol, negadas e/ou nunca confirmadas. A versão é sempre mais atraente e duradoura que o fato. Mazzola é cidadão brasileiro e italiano. Mais brasileiro que italiano. Falou que torce pelo bom futebol. Hoje, pelo Barcelona. 

Mazzola apontou Brasil, Espanha e Inglaterra como favoritas na Copa. Coloco Brasil e Espanha no primeiro grupo e, com um pouco menos chance, Inglaterra, Itália, Alemanha, Holanda e Argentina. Não desprezem a Argentina nem o técnico Maradona. 

O futebol mudou. O Brasil, que sempre teve muitos craques no meio-campo (volantes e clássicos meias armadores), não tem um excepcional jogador nessa posição, convocado ou não. Kaká, Ronaldinho, Robinho e Alex são meias de ligação ou meias-atacantes. 

A Argentina, que sempre teve excelentes meias de ligação, não terá, na Copa, nem na reserva, um único jogador dessa posição. Verón é volante. Riquelme e outros meias não foram chamados para o último amistoso. 

O Brasil não é um dos principais favoritos ao título somente porque tem uma equipe pronta e organizada. É, principalmente, porque possui o melhor goleiro do mundo, os dois melhores laterais direitos, um dos três melhores jogadores do mundo (Kaká), quatro zagueiros que estão entre os melhores (Lúcio, Juan, Luisão e Thiago Silva), um excelente centroavante (Luís Fabiano), além de Ronaldinho e Robinho, que podem crescer no Mundial. 

Existe uma máxima no futebol de que jogo se ganha no meio-campo. O Brasil tem ótimas chances de ser campeão do mundo, sem meio-campo. Ou melhor, com um meio-campo apenas forte e marcador. Dunga vai revolucionar o futebol. 

Será mais uma evidência de que o talento nesse setor não tem mais a mesma importância. Será o reconhecimento e a valorização da mediocridade. 

Mazzola disse que prefere, mesmo jogando mal, um jogador que coloca o companheiro uma ou duas vezes por jogo na cara do gol, como Ronaldinho, a um disciplinado e regular. Mais que isso, Ronaldinho, há vários meses, joga bem e com regularidade. Sua situação não tem nada a ver com a de Romário, em 2002. Romário não tinha condições de jogar bem a Copa. 

Ronaldinho atuou mal, sob o comando de Dunga, porque estava mal em seus clubes. Agora, é diferente. Preferir jogadores que não estão bem em seus clubes, somente porque atuaram algumas vezes bem na Seleção, deixando de fora outros sabiamente melhores e em forma, é uma decisão incompreensível e incoerente. 

Quando uma pessoa quer ser excessivamente racional e coerente, mais até que a própria racionalidade e coerência, se torna refém de seus dogmas e perde a racionalidade e a coerência.



http://twitter.com/6858kmdefutebol
http://6858kmdefutebol.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget